14 de fevereiro de 2013

Vereador denuncia câmeras desativadas


Sessão da Câmara: vereadores discutiram novamente a possibilidade de armar a Guarda Municipal, a exemplo de Piracicaba
Segundo Clodoaldo Aparecido de Moraes denunciou no plenário da Câmara, muitas das câmeras da cidade estão apenas com a carcaça

O vereador Clodoaldo Aparecido de Moraes (PT informou durante a sessão de ontem na Câmara Municipal que "diversas câmeras de monitoramento da cidade estão desativadas, sendo que muitas delas contam apenas com as carcaças". O parlamentar fez a denúncia em plenário. Segundo ele, o balanço do funcionamento do sistema teria sido passado por "policiais militares". "Estava na Rua Thuller quando um PM perguntou se eu não tinha visto um homem de camiseta azul passando por ali. Esse rapaz teria cometido um furto há poucos instantes", lembrou o petista. "Informei ao policial que não havia visto ninguém com aquelas características e, então, sugeri para verificarem a câmera instalada ali perto. Foi quando recebi a informação de que muitos equipamentos estavam quebrados", contou o parlamentar. De acordo com o vereador, ao menos 29 equipamentos estariam sem funcionamento "por falta de manutenção". 
A Secretaria Municipal de Segurança rebateu o vereador e informou, por meio de nota, que no momento, 13 câmeras estão em processo de manutenção. Dessas, sete se encontram em manutenção de rotina, que deve ser feita em um prazo de oito horas. As outras seis câmeras deverão ser trocadas e isso acontecerá nos próximos 10 dias. No total, Mogi conta com 283 câmeras de monitoramento, sendo 77 móveis e 206 fixas.


Guarda
O tema segurança dominou as discussões na sessão de ontem na Câmara Municipal. Além da questão das câmeras, os vereadores, mais uma vez, discutiram a proposta de armar a Guarda Municipal. "Cidades como Piracicaba, que possui semelhanças com Mogi, e até nossa vizinha Poá, contam com corporações armadas aliadas a uma grande estrutura. Infelizmente, o município subutiliza a Guarda, transformando os homens e mulheres em meros protetores patrimoniais", argumentou Moraes.

Mauro Araújo (PMDB) avaliou que armar a guarda não seria suficiente, "antes é preciso que ela passe por um processo de qualificação". "O governo estadual já demonstrou que segurança não é sua prioridade e o município precisa contribuir nesta área, caso contrário, a sensação de insegurança vai piorar", afirmou.

Karina Pirillo (PCdoB) destacou que a utilização de cães por parte dos Guardas pode ser uma dos itens adotados pela corporação.


0 comentários:

Postar um comentário