11 de setembro de 2012

Praças atraem usuários de drogas


O avanço das drogas em espaços públicos se espalha em Mogi das Cruzes. Além do Parque Botyra Camorim Gatti, no Centro Cívico, outras praças e locais de lazer na Cidade sofrem com a invasão de usuários que amedrontam quem passeia com a família. A população exige maior atuação por parte da Polícia Militar para inibir a prática.
Na última sexta-feira, O Diário mostrou que o consumo de entorpecentes no Parque acontecia livremente. Adolescentes aparentando 13 anos enrolavam papelotes de maconha para que fossem consumidos durante o encontro. Após a denúncia, a Guarda Municipal foi ao local. Na tarde desta segunda-feira (10), ela circulava pela área para impedir que a cena se repetisse.
De acordo com algumas pessoas ouvidas pela reportagem, contudo, outros espaços do Município são palco para o consumo de entorpecentes, como a Praça Doutor Álvaro de Campos Carneiro, na Vila Oliveira. “Os grupinhos vêm mais à noite para usar drogas. Eu evito vir aqui sozinha, sempre estou acompanhada do meu irmão, porque já tive uma amiga assaltada aqui”, aponta a estudante Renata Reginato, de 15 anos.
O pedreiro Edvaldo Jesus Souza, 53, que trabalha em obras de melhoria na Praça, relata que onde mora, no Jardim Aeroporto III, o tráfico e o uso de drogas em público são comuns. “É muita maconha e cocaína que são consumidas naquele Bairro. Eu mesmo tenho um irmão, de 40 anos, que está viciado. É um problema social sério. Os jovens não se escondem, consomem livremente por aí”, apontou.
Na Praça Paulo Kobayashi (popularmente conhecida como Praça do Oito), no Alto do Ipiranga, o movimento começa às 18 horas. “Eles (usuários) incomodam as pessoas que vêm passear e não disfarçam. São jovens que, normalmente, faltam às aulas para vir fumar aqui”, disse um técnico de enfermagem, que preferiu não se identificar. 
Fonte: O Diário de Mogi

0 comentários:

Postar um comentário