12 de março de 2012

TODOS CONTRA A OPERAÇÃO DELEGADA


TODOS CONTRA A OPERAÇÃO DELEGADA
Após serem pressionados por integrantes da Gama (Guarda Armada Municipal de Americana), os membros do PSDB na Câmara irão tentar demover o vereador Luiz Antônio Crivelari, o Capitão Crivelari (PSD), da ideia de levar o projeto que autoriza a Prefeitura de Americana a celebrar convênio com a Polícia Militar a votação amanhã. Apesar de terem votado a favor da proposta na semana passada, os parlamentares se encontraram com guardas durante a semana e ouviram queixas do grupo. Pressionada, a base se reúne hoje e pode mudar o posicionamento, optando pelo adiamento da proposta. Até agora, sete vereadores declararam-se contrários ao projeto, sendo um deles da base. O líder do governo, no entanto, disse que não vai recuar (leia texto ao lado). 
O projeto foi aprovado com sete votos favoráveis, quatro contrários e uma abstenção na semana passada. Contrários à proposta, membros da Gama procuraram e foram procurados por parlamentares para reverter a situação. Dos favoráveis na última reunião, Odair Dias (PV) e Reinaldo Chiconi (PMDB) disseram que vão votar contra a proposta e Oswaldo Nogueira (DEM), que se absteve, também disse ser contrário ao projeto. Nogueira disse ainda que pretende tentar convencer Crivelari a retirar a matéria da pauta.

INDEFINIÇÃO

Chiconi afirmou que só apoiou a proposta em primeiro momento por acreditar que ela tinha apoio da diretoria da Gama. “O Capitão (Crivelari) disse que o diretor da Guarda era favorável e eu apoiei. Só depois soube que o diretor é contrário”, disse. A orientação partidária também influenciou, segundo Chiconi. “Fui orientado pelo meu partido a ser contrário à proposta”.
Na base, ainda não há definição sobre a segunda discussão. O líder do PSDB, Valdecir Duzzi, afirmou que o grupo vai continuar votando em bloco, mas não negou que pode ser contra a proposta. “Eu respeito o projeto do líder e voto com a base”, disse. O tucano afirmou, porém, que, apesar de votar com a base, a reunião pode definir até pelo adiamento do projeto. Segundo Duzzi, o governo é favorável ao projeto e o secretário de Governo, Douglas Trindade, orientou o apoio ao projeto. A reportagem tentou contato com o secretário nos últimos dois dias, mas não obteve retorno.

BICO DA GUARDA

Para garantir o apoio da maioria, o líder do governo garantiu aos parlamentares que apresentaria um projeto que desse preferência aos guardas municipais de folga, caso o Executivo desejasse. Crivelari protocolou o projeto, conforme foi garantido, mas até agora não houve assinaturas para que a matéria entre em regime de urgência. O problema é que a proposta não foi aceita pela Gama e acabou criticada pelo diretor Marcelo Feola. Caso não tenha cinco assinaturas até amanhã, a proposta não poderá entrar em regime de urgência.

Um comentário:

  1. tai um exemplo de união e determinação de uma Guarda Municipal.

    ResponderExcluir