17 de setembro de 2014

Arma para a Guarda é escolhida



A pistola 380 é o modelo de arma pretendido pela Secretaria Municipal de Segurança para que a Guarda Municipal utilize caso a revisão do Estatuto da corporação seja aprovada na Câmara de Mogi das Cruzes. A Pasta já prepara um local para guardar os equipamentos e estima que deverá gastar R$ 100 mil por mês na locação e monitoramento do lugar.
As informações são do secretário municipal de Segurança, coronel Eli Nepomuceno. “É uma preocupação que nós temos, assim como as empresas de segurança também têm. Teremos um espaço, que é melhor não detalhar onde é, mas já sabemos o quanto vai custar para que as armas sejam armazenadas lá: R$ 100 mil por mês”, explicou.
Segundo ele, o modelo que deve ser adquirido é o da pistola 380, que no mercado de armamentos custa, em média, R$ 3,2 mil. “Além disso, os agentes passarão por exame psicológico com um psicólogo credenciado pela Polícia Federal. Há apenas um na Região e ele trabalha em Suzano. Será lá que eles passarão pelos testes. Aqueles que forem certificados como aptos a receber as armas, vão contar com as pistolas”, destacou. Isso significa que nem todos os 190 guardas municipais devem trabalhar armados. 
Como a compra das armas deve ser feita em larga escala, a tendência é de que o valor seja menor. Na edição do dia 7, O Diário noticiou com exclusividade que o Estatuto revisado está na análise final por parte da Secretaria de Finanças e deve ser enviado à Câmara Municipal até o final do ano. A estimativa é de que a Guarda armada custe, pelo menos, R$ 1,5 milhão.

0 comentários:

Postar um comentário