2 de outubro de 2013

Após homicídio, GCM de Itaquá cobra mais segurança

Após o assassinato de um Guarda Civil Municipal (GCM) de Itaquaquecetuba, na manhã da última segunda-feira, a categoria se reuniu ontem para pedir melhores condições de trabalho.
De acordo com um GCM, que não quis se identificar, o setor se encontrou pela manhã, em frente à Secretaria Municipal de Segurança, localizada na Vila Virginia. O manifesto foi para cobrar mais segurança aos agentes da corporação. "Nos encontramos para tratar de assuntos ligados à nossa segurança. O GCM assassinado estava sozinho e nós queremos propor o trabalho em dupla para tentar evitar esse tipo de situação", conta.
Segundo o secretário de Segurança de Itaquá, Geraldo Perioto, a pasta fará o que estiver ao alcance para garantir melhorias no serviço da GCM. Ele destaca também que no momento o setor tem o pensamento de amparo. "Nós queremos oferecer amparo e conforto à família do GCM morto. Essa é a nossa prioridade. Mas ouvimos o que os outros guardas solicitaram e estaremos estudando estas ações e vendo o que pode ser feito", ressalta.
Entre as reivindicações dos GCMs está a mudança no sistema operacional. Ou seja, ao invés de fazer os monitoramentos sozinhos eles o realizarão em duplas. "A gestão está estudando essa medida. No entanto, não temos data para a aprovação", diz o secretário.
Perioto explica que a segurança é um dos itens de maior preocupação da população. "Há alguns anos esta era uma questão que estava em 4º e 5º lugar. Mas hoje ela é a que mais nos traz preocupação. Contudo, todos nós sabemos dos riscos que corremos quando vamos atuar no setor ligado à segurança, e agora vamos pensar em novas ações. Mas os GCMs não devem paralisar seus serviços", finaliza.

0 comentários:

Postar um comentário