18 de dezembro de 2012

Guarda Municipal completa 10 anos


Corporação celebrará aniversário em cerimônia especial na quinta-feira, no Parque Centenário, em César de Souza 



A Guarda Municipal completou 10 anos de atividades. Criada em 2002, pelo então prefeito Junji Abe (PSD), a corporação comemorou o aniversário ontem, no entanto, a cerimônia que fará uma homenagem ao órgão será realizada no dia 20, quinta-feira, no Parque Centenário, a partir das 15 horas.

A banda da Polícia Militar estará presente, assim como o prefeito Marco Bertaiolli (PSD), vereadores e secretários municipais. Dez árvores serão plantadas. Cada uma representará um ano de existência do grupo. Cinco guardas municipais que se aposentaram neste ano receberão diplomas.

Ao longo da década, a corporação viu o efetivo e a estrutura aumentarem. Atualmente, a Guarda Municipal conta com 206 integrantes, entre homens, que são a grande maioria, e mulheres. Em quatro anos, houve dois concursos que contrataram 37 novos membros. São dez viaturas e duas motos, além da sede própria, instalada no bairro do Socorro.

Os guardas fazem as rondas com armas não letais. Os itens usados na defesa da "desordem pública" são a tonfa, uma espécie de cassetete, a algema e o colete balístico. A previsão é de que em 2013 o gás de pimenta seja incorporado. 

O secretário municipal de Segurança, Eli Nepomuceno, destacou alguns dos avanços conquistados ao longo dos anos. "O estatuto é a nossa maior vitória. Com ele, houve uma valorização da carreira, mas é preciso destacar a atual estrutura oferecida", ressaltou. "A Ciemp (Central Integrada de Emergências Públicas) recebeu R$ 2 milhões em investimentos, houve a aquisição de um sistema de videomonitoramento móvel, a sede foi reformada e os guardas passaram por uma série de treinamentos", enumerou o secretário.

"A Guarda Municipal deixou de fazer apenas a segurança patrimonial. Hoje, ela auxilia a Defesa Civil e o Setor de Fiscalização da Prefeitura", destacou Nepomuceno. 

Projetos
Para os próximos anos, existe a expectativa de que a corporação passe a trabalhar com armas. O assunto é discutido por um grupo de trabalho, formado por guardas, procuradores da Prefeitura e o próprio secretário de Segurança. 
"Os estudos se estendem até 2014", revelou Nepomuceno. Também são analisadas adequações e atualizações no estatuto da categoria.


Fonte: Moginews

0 comentários:

Postar um comentário