26 de julho de 2014

"Violência" em Mogi das Cruzes







Em apenas três horas, crimes ocorreram no Caputera e na Vila Natal e em todos os casos mortes foram a tiros

Três homens foram mortos a tiros, em um prazo de três horas, em pontos distantes de Mogi das Cruzes. No primeiro caso, às 23 horas de quinta-feira, houve um duplo homicídio na avenida Prefeito Francisco Ribeiro Nogueira, altura do nº 3.076, no Caputera.

Segundo a Polícia Militar, a princípio, dois homens haviam sido atingidos com disparos de arma de fogo nas proximidades de um posto de combustíveis. 
Quando chegaram ao lugar indicado, os PMs encontraram uma das vítimas já morta e outra sendo socorrida por profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Os policiais souberam que o homem morto era o garçom Fernando Cardoso Cezar, de 32 anos, que morava na Vila Jundiaí. Ele levou quatro tiros, sendo um no abdome, um na cabeça, um no braço direito e um nas costas. 
A segunda vítima era Márcio Ferreira da Paz, também de 32 anos, que agonizava ainda no local, com cinco tiros (na coxa, na mão esquerda, no peito e dois na cabeça), enquanto era atendido pela equipe do Samu. Ele foi levado para o Hospital Luzia de Pinho Melo, mas não resistiu. 
Investigadores do Setor de Homicídios (SH) de Mogi estão em busca de pistas sobre a autoria do duplo assassinato e souberam que um homem encapuzado, que desceu de um Honda Civic, é quem teria atirado nos homens.

Na outra ocorrência, à 1h55 de ontem, a polícia foi acionada até o cruzamento das ruas Manoel Inácio Silva Alvarenga com a Desidério Jorge, na Vila Natal, onde estava um homem baleado. 
Lá, constataram que o servente Jefrey Jeferson Gonçalves, de 24 anos, havia levado vários disparos e morrido no local. Não foram localizadas testemunhas do crime, que também será investigado pelo SH.

Ambos os casos foram registrados no 1º Distrito Policial (DP) Central pela equipe do delegado José Carlos Santos Alvarenga. A perícia foi requisitada e os cadáveres passaram por exames necroscópicos.

Fonte:MOGINEWS

0 comentários:

Postar um comentário