7 de junho de 2012

Polícia de Campinas negocia apoio de GMs em delegacias


foto
A cúpula da Polícia Civil de Campinas negocia com a Prefeitura a utilização de agentes da Guarda Municipal (GM) para trabalhar internamente em distritos e delegacias da cidade. A solicitação partiu da polícia, que enfrenta déficit de pessoal no município. De imediato, três delegacias serão atendidas — Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), 1º Distrito Policial (DP) e 13º DP.
Desde a semana passada, uma guarda está alocada na DDM, onde ajuda com a triagem de ocorrências e inicia o atendimento às vítimas. A falta de funcionários na DDM foi foco de reportagem do Correio no mês passado. Na delegacia especializada deveriam trabalhar 125 funcionários, mas são hoje apenas 17.
Além da Delegacia da Mulher, o 1º Distrito Policial, localizado no bairro Botafogo (onde também funciona a Central de Flagrantes, que acumula durante o período da noite todo os casos de prisões da cidade), e o 13º DP, no Cambuí, devem receber nos próximos dias GMs que irão ajudar com serviços internos.
A prática de usar funcionários municipais em delegacias é praxe em algumas cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e expõe a necessidade urgente de concursos públicos para a área. Parte dessas cidades sofre há anos com a falta de funcionários públicos estaduais aptos a realizar especificamente a atividade típica de um policial civil.
Ao menos 10 municípios utilizam essa prática. Em Sumaré, por exemplo, servidores municipais muitas vezes são obrigados a assumir cargos tipicamente de escrivão de polícia. Eles registram boletins de ocorrência. Porém, será a primeira vez que guardas serão utilizados em delegacias. “Foi uma solicitação da Polícia Civil, que necessita aumentar o quadro de funcionários. A conversa veio de encontro a um plano da Guarda de alocar GMs nas delegacias e agilizar o nosso trabalho”, afirmou Sinval Dorigon, secretário de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública.
Dorigon informou que está negociando com a polícia a possibilidade de colocar GMs em todos os distritos e delegacias da cidade. “É uma forma de cooperar com o trabalho da polícia e integrar forças.”
Ainda está em fase de debate quais as funções que os agentes municipais assumirão. “Por enquanto eles darão encaminhamento aos casos e assumirão os que forem trazidos por outros guardas. Por exemplo, no 1º DP, onde há muitos casos de prisões feitas por guardas, eles assumem a ocorrência, e assim, dá para liberar os GMs de volta a rua. Mas podem assumir outras funções”, afirmou.
O delegado seccional de Campinas José Carneiro Campos Rolim Neto, que fez o pedido à secretaria, considera que a parceria irá agilizar o trabalho da polícia. “Os guardas farão triagem e ajudarão os policiais. Outra intenção é que policiais sejam colocados na Central Integrada de Monitoramento de Campinas.”
A alocação de guardas em delegacias gerou polêmica entre os funcionários das delegacias, que defendem a contratação de funcionários e não convênio com a GM.

0 comentários:

Postar um comentário