2 de abril de 2012

Apoio aos servidores públicos

Matéria publicada em 01/04/12 na coluna Tribuna Livre do jornal Moginews

Mário Sérgio De Moraes                                                                                                                                                                                                                                                                                 
Toda manifestação pela Cidadania - melhores condições de vida - é válida. Todo discurso social de protesto - liberdade de pensamento - é válido. Toda oposição ao situacionismo - o Legislativo é um puxadinho do Executi-vo - é válido. Toda passea-ta - a pacífica - é válida. Todo apoio de outras entidades - que não causem atrelamentos - é válido.
Diante destes parágrafos anteriores, com seus cinco princípios de Direitos Humanos, declaro meu apoio explícito aos servidores públicos de Mogi das Cruzes. Assim como fiz com os chacareiros, movimento contra o aterro, contra o radar dedo-duro e a favor da Ficha Limpa. Ainda mais: afirmo que este protesto, nascido dentro do Estado, rompe democraticamente com uma enganosa publicidade oficial que sempre nos diz: está tudo maravilhoso em Mogi das Cruzes. Será?
Como historiador, constato que, pouco a pouco, vozes dissonantes surgem. A passeata feita, à semelhança de inúmeras de São Paulo, revela que existe um clamor público de membros do Semae (Serviço Municipal de Águas e Esgotos), da Guarda Municipal (esta ainda muito desprestigiada), de funcionários do prédio da própria Prefeitura. 
E por isto chega-se à conclusão: merecem ser ouvidos. Como? Toda pessoa da comissão dos trabalhadores tem de participar da negociação com o prefeito. Repito: é ilegítimo deixar de fora qualquer membro da comissão dos trabalhadores. Caso contrário, qualquer "cala boca" é autoritarismo!
Também é lamentável que o discurso oficial, seja do governo federal, estadual ou municipal, venha sempre com a velha "lenga-lenga" de deslegitimar o movimento social (seja de quem for: professores, metalúrgicos, servidores) ao afirmar que estão sendo manobrados por partidos políticos. Isto é desculpa esfarrapada para não colocar o dedo na ferida: existem problemas que devem ser solucionados.
Mas como? Por três passos essenciais. Em primeiro lugar, pelo Diálogo (com letra maiúscula). Depois, com a presença direta do prefeito conversando com a comissão representativa dos servidores. E, finalmente, com transparências, isto é, na presença de advogados de ambas as partes. Caso contrário, mandonismos podem surgir.

Somos aprendizes dos 3 "Ds", da filosofia clássica grega: a existência da Dúvida (não somos donos das verdades), a existência do Debate (um só lado que decide é enganação) e a existência do fruto: a Democracia. Que bom...

Mário S. de Moraes
é historiador e professor de Cultura Brasileira



2 comentários:

  1. QUEM SABE ATRAVÉS DA MATÉRIA PUBLICADA P SR.MARIO A POPULAÇÃO POSSA ENTENDER AS VERDADEIRAS CAUSAS DAS PASSEATAS,RECONHECER QUE PAIS E MÃES DE FAMILIA QUE PRESTAM ÓTIMOS SERVIÇOS VOLTADO A POPULAÇÃO MOGIANA ESTÁ SENDO DESMOTIVADOS,DESRESPEITADOS,DESACREDITADOS, E ENTENDAM E APOIEM AS REVINDICAÇÕES DOS SERVIDORES,SEM CRITICÁ-LOS,E AOS IRMÃOS DA GM MOGI SE NÃO QUEREM PARTICIPAR NÃO CRITIQUEM OS DIRETORES DA AGCMMC QUE APÓIA...OBRIGADO E ABRAÇOS AZUIS. QUE DEUS NOS ABENÇÕE...

    ResponderExcluir
  2. Estamos juntos nesta luta.
    Mais uma vêz nossos lideres provaram da suas incompetênçia, pois se tivessem pelo menos recebido a comissão representante dos servidores todo esse trantorno não teria acontecido, mais uma vêz mostrou-se a incompetênçia dos acessores do exmo.Sr.prefeito.
    A agcmmc apoia o movimento.
    G.C.M.De Melo.

    ResponderExcluir