10 de fevereiro de 2012

Fundação da AGCMMC

Guardas Municipais cobram investimento em estrutura
Cleber Lazo
Da Reportagem Local
Foto: Divulgação
Guardas de Mogi agora têm uma entidade representativa
Os guardas municipais lançaram na noite de ontem a sua associação de classe e o primeiro ato foi reivindicar a valorização da categoria. A cerimônia foi realizada no Sindicato dos Bancários de Mogi das Cruzes. 

O vice-presidente da entidade, Valmir Virgínio da Silva, de 44 
anos, revelou que o lema será "estrutura e reconhecimento". "Não vamos cobrar reajuste salarial, porém, esperamos que a Prefeitura valorize a GM, assim como faz com as Polícias Militar e Civil e com o Corpo de Bombeiros", destacou. "Nossa classe não pode aceitar que a administração municipal gaste milhões de reais com outras corporações e não dê a atenção necessária aos guardas", criticou.


Virgínio trabalha há 17 anos na Prefeitura e reclamou que não há treinamento e, ainda, que as armas não letais fornecidas são ineficazes. "A tonfa (espécie de cassetete), a algema e o nosso fardamento estão em péssimas condições, mas o maior absurdo é que não temos nem mesmo um gás de pimenta. Se estiverem usando, é porque compraram do próprio bolso", ponderou. "Se disparar um alarme no meio da madrugada de uma escola no Botujuru, por exemplo, os guardas chegam ao local com apenas a tonfa e uma algema, quando disponíveis, porque não há em número suficiente", revelou. 
"A Polícia Militar e a Civil já se colocaram à disposição para realizar cursos de qualificação, mas não há nenhum interesse em capacitar os guardas", completou o vice-presidente. Ele garantiu que 85% dos quase 200 mogianos que formam o efetivo da GM vão se associar.


Outro lado
"A Prefeitura desconhece a existência dessa associação", afirmou o secretário municipal de Segurança, Eli Nepomuceno. Ele considerou um "equívoco" o posicionamento da entidade. "Os integrantes da GM usam todo o equipamento necessário: tonfa, colete balístico, algema e estamos iniciando uma licitação para a compra de gás de pimenta", disse.

Segundo ele, todos os guardas passam por treinamento e recebem a orientação necessária para as mais variadas ações. "O fardamento está de acordo com o que está especificado no estatuto da guarda, assim como o plano de carreira, entre outros benefícios. A atual administração tem dado uma atenção especial à categoria, prova disso é que ela se tornou referência", garantiu.


Fonte: Moginews

5 comentários:

  1. SERÁ UMA NOVA FASE DA GM DE MOGI,TERÁ UM MEIO DE SE INTERMEDIAR ATRAVÉS DE UMA ENTIDADE CRIADA,REGISTRADA,LEGALIZADA C COMANDO E ADMINISTRAÇÃO,PORQUE ATÉ ENTÃO NÃO TINHAMOS ESTE MEIO,MUITAS COISAS ACONTECIAM E OS GMS SEMPRE ERAM OS ÚLTIMOS A SABER,AGORA NÃO.
    OQUE O SR. SECRETÁRIO FALOU ESTA CERTO,ATÉ ONTEM,AGORA NÃO. AGORA EXISTE SIM UMA ASSOCIAÇÃO,QUE FOI CRIADA E REGISTRADA DENTRO DOS PROCEDIMENTOS EXIGIDOS,AGORA DEPENDE COMO SE VÊ A GM, UMA GM QUALIFICADA,TREINADA NOS PARÃMETROS DAS GCMS VIZINHAS; SUZANO,POÁ,ITAQUÁ,FERRAZ,ETC, ISSO NÃO,ESTAMOS MUITO LONGE DISSO,MUITO,POIS SE QUER UMA GM FANTASMA,OU APENAS P FAZER MÉDIA,SEM DIREÇÃO,SEM SER OPERACIONAL,PODE SER QUE SIM.
    MAS NÃO É ISSO QUE QUEM APRENDEU TER ORGULHO POR ESTA FARDA,NÃO QUER.QUEREMOS ESTAR NOS MESMOS PADRÕES DE NOSSAS IRMÃS GCMS VIZINHAS,A AGCMC NÃO QUER BRIGAR C NINGUÉM,QUER SER OUVIDA,POIS OQUE PLEITEAMOS SERÁ EM PROL DO CONTRIBUINTE E AO NOSSOS IRMÃOS DE FARDA.

    ResponderExcluir
  2. um sábio disse , que um chefe quando se cerca de pessoas incompetentes, é porque ele próprio é incompetente, e teme que pessoas capazes puxem o seu tapete.

    ResponderExcluir
  3. E o "NOBRE SECRETÁRIO" ELI não sabe o que fala, literalmente,meteu os pés pelas mãos no final de semana ,tentou explicar o tapa na cara da corporação com a nomeação dos fiscais,diga-se de passagem não tem culpa nenhuma,"ELI não sabe o que fala" se sentiu desrespeitdo,COITADO,e a trairagem contra a corporação,as ofensas ao GM xingando o de desagregador,e por cima ainda ficou nervosinho,se descontrolou,levantou a vóz e disse eu não sou trouxa, num linguajar RIDÍCULO para um secretário de segurança de mogi,parecia mais um tipíco "CORONÉ" do interior que mete a mão na cinta,ergue as "CARÇA" da ordem e todo mundo tem que obedecer.NA BOA "NOBRE CORONÉ" a ditadura acbou faz tempo.

    ResponderExcluir
  4. INICIO DA AGCMMC
    Nova Associação
    Guardas Municipais cobram investimento em estrutura
    Cleber Lazo
    Da reportagem local
    Mayara de Paula



    Guardas de Mogi agora têm uma entidade representativa
    Os guardas municipais lançaram na noite de ontem a sua
    associação de classe e o primeiro ato foi reivindicar a
    valorização da categoria. A cerimônia foi realizada no
    Sindicato dos Bancários de Mogi das Cruzes.
    O vice-presidente da entidade, Valmir Virgínio da Silva, de
    44 anos, revelou que o lema será "estrutura e reconhecimento".
    "Não vamos cobrar reajuste salarial, porém, esperamos que
    a Prefeitura valorize a GM, assim como faz com as Polícias
    Militar e Civil e com o Corpo de Bombeiros", destacou. "Nossa
    classe não pode aceitar que a administração municipal
    gaste milhões de reais com outras corporações e não dê a
    atenção necessária aos guardas", criticou.

    Virgínio trabalha há 17 anos na Prefeitura e reclamou que
    não há treinamento e, ainda, que as armas não letais
    fornecidas são ineficazes . "A tonfa (espécie de cassetete),
    a algema e o nosso fardamento estão
    em péssimas condições, mas o maior absurdo é que não temos
    nem mesmo um gás de pimenta. Se estiverem usando, é porque
    compraram do próprio bolso", ponderou. "Se disparar um alarme
    no meio da madrugada de uma escola no Botujuru, por exemplo,
    os guardas chegam ao local com apenas a tonfa e uma algema,
    quando disponíveis, porque não há em número suficiente", revelou.
    "A Polícia Militar e a Civil já se colocaram à disposição para
    realizar cursos de qualificação, mas não há nenhum interesse
    em capacitar os guardas", completou o vice-presidente. Ele
    garantiu que 85% dos quase 200 mogianos que formam o
    efetivo da GM vão se associar.


    Outro lado
    "A Prefeitura desconhece a existência dessa associação",
    afirmou o secretário municipal de Segurança, Eli Nepomuceno.
    Ele considerou um "equívoco" o posicionamento da entidade.
    "Os integrantes da GM usam todo o equipamento necessário:
    tonfa, colete balístico, algema e estamos iniciando uma licitação
    para a compra de gás de pimenta", disse.

    Segundo ele, todos os guardas passam por treinamento e recebem
    a orientação necessária para as mais variadas ações. "O
    fardamento está de acordo com o que está especificado no
    estatuto da guarda, assim como o plano de carreira, entre outros
    benefícios. A atual administração tem dado uma atenção especial
    à categoria, prova disso é que ela se tornou referência", garantiu.
    claudio henrique silva

    parabéns meu irmão Claudio, boa sorte
    e conte sempre com este amigo
    gcm Carlinhos silva sp / sp

    ResponderExcluir
  5. Secretario não obedeceu aos critérios da classificação do concurso interno, na hora de escolher os 14 integrantes da 2º classe para posto de serviço. Para baixar o intercio de 3 anos, para um 1 ano, tem que modificação na Lei 69/10, fazer um projeto para ser aprovado pela camará de vereadores, para que o plano de carreira possa seguir em frente. Se não modificar a Lei abre precedente para um processo na justiça, por que esta desobedecendo a Lei 69/10.

    ResponderExcluir