24 de julho de 2014

São Paulo pretende oficializar ‘bico’ da GCM

Prefeito Fernando Haddad enviou a Câmara projeto similar a Operação Delegada da PM

A cidade de São Paulo poderá ter  o chamado ‘bico oficial’ para os agentes que atuam na GCM (Guarda Civil Metropolitana). O prefeito Fernando Haddad encaminhou para a Câmara dos Vereadores um projeto de lei que estabelece a possibilidade dos funcionários do órgão trabalharem  nos dias de folga, a exemplo do que ocorre atualmente com a Polícia Militar na Operação Delegada.
“Este projeto foi negociado conosco. Quando surgiu a Operação Delegada, a categoria  ficou bem insatisfeita, afinal de contas, os agentes da  guarda civil também acabam fazendo bico nos horários de folga . Isso, porque o  salário é muito baixo e é importante ter algum tipo de alternativa”, explica Carlos Augusto Silva, presidente do Sindguardas (Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos de São Paulo).
 Segundo ele, “atualmente, o profissional faz um bico de segurança em um açougue, um posto de gasolina ou algum lugar parecido. Muitas vezes sozinho e isso é perigoso. Essa semana perdemos um companheiro que morreu enquanto fazia um bico. Com este projeto, o agente poderá atuar prestando serviço para a administração pública, recebendo mais e com o respaldo do restante da corporação, com apoio”. 
No entanto, o sindicalista reforça que é preciso valorizar a GCM por conta dos salários baixos. “Nós ainda continuamos reivindicando um aumento salarial. Para começarmos a ter um ganho real, o trabalhador deveria receber um aumento de ao menos 40%”.

Projeto /A proposta apresentada pelo prefeito Haddad prevê que a atividade extra seja paga por meio de uma diária de oito horas classificada como Diária Especial por Atividade Complementar. Se aprovado, o texto permitirá uma remuneração de R$ 20 por hora para os guardas.
A prioridade da administração pública municipal deve ser alocar os agentes ‘excedentes’ no entorno  das escolas municipais.  A avaliação é que cerca de mil profissionais se disponibilizarão  para atuar nos horários de folga. 
Na Câmara dos Vereadores, também está em tramitação um projeto para reajustar o salário dos servidores da GCM em 5% neste ano e em 10,23% no ano de 2016.
Fonte:Diario SP

0 comentários:

Postar um comentário